Jornal 2

"Não consegue comportar toda demanda", diz médico sobre tratamento da Covid-19 em hospital de Extrema

Por Rodrigo Matarazzo em 25/01/2021 às 21:03:35
Profissional destaca alto índice de solicitações de internações. Escolas particulares retomaram as aulas nesta segunda-feira (25). Moradores reclamam de atendimento para Covid-19 em hospitais de Extrema

Desde o início da pandemia, Extrema (MG) figura entre as cidades com maior número de casos de Covid-19 no Sul de MG. Nos últimos dias, o município também mantêm todos os leitos para pacientes com coronavírus ocupados em um hospital da cidade. Mesmo neste cenário, a cidade retomou as aulas em duas escolas particulares.

Extrema tem duas unidades para tratamento dos pacientes de Covid-19 através do Sistema Único de Saúde (SUS): o Hospital Municipal e o São Lucas, que é particular, mas para casos de coronavírus presta serviços para o SUS. Há um mês, ele está lotado.

“Felizmente a gente está conseguindo ter um bom número de alta dos pacientes, eles estão se recuperando. Mas a cada duas altas que a gente dá, têm cinco, seis solicitações para internação. O hospital, por mais que a gente tente, não está conseguindo comportar toda a demanda”, disse o médico responsável por tratamento da Covid-19, Luigi Kenji Annicchino.

Médico Luigi Kenji Annicchino fala da demanda por internações em hospital de Extrema (MG)

Reprodução/EPTV

A Secretária de Saúde de Extrema, Patrícia Carneiro, nega que esteja acontecendo um colapso de saúde na cidade.

“Nós acabamos de abrir o hospital aqui com 30 leitos clínicos para internação. Então, quando a gente realmente lotar toda a capacidade, a gente pode falar em um colapso. O São Lucas não tem vaga, nós conseguimos remanejar para Itajubá, Poços de Caldas, para Santa Rita [do Sapucaí]. Então, a gente tem que entender isso como uma macrorregião, não só Extrema”, destacou a secretária.

O Hospital de Campanha começou a funcionar nesta segunda-feira em Extrema nas instalações do Hospital Municipal. De acordo com a prefeitura, a unidade conta com 40 leitos de enfermaria para internação de pacientes com Covid-19. Deste total, 30 leitos são destinados aos adultos e jovens com idade a partir de 14 anos e outros 10 leitos reservados às crianças menores de 14 anos.

Reclamações

Além da população do município, Extrema também recebe pacientes de outras cidades do entorno. A falta de leitos teria vitimado o marido de Maria das Dores.

“Faltou medicação, a medicação era atrasada, eu fui falar para a enfermeira e ela falou para mim: "por que a senhora cobrou os enfermeiros de dia?". Eu falei: "não cobrei porque o médico disse que estava com não sei quantas emergências e não passou cedo". Ai, dez horas da noite que deu medicamento para a pessoa com pulmão comprometido 60%. Ainda acha que é certo, não é certo não”, disse.

Moradores reclamam de atendimento para Covid-19 em hospital de Extrema (MG)

Reprodução/EPTV

O Pronto Socorro também foi denunciado por uma mulher que preferiu não se identificar.

“Fiquei de cinco a seis dias aqui internada em cima da maca, implorando pela transferência. Houve uma vaga para a transferência. Houve uma vaga para a transferência, mas passaram para outra pessoa que era conhecida de alguém ai dentro”, disse ela.

Outros relatos e reclamações aparecem nas redes sociais. Em uma dessas publicações, um homem diz que o irmão estava com os pulmões comprometidos, com febre e muita falta de ar e mesmo assim, ele teria sido orientado a retornar para casa.

Volta às aulas

Pelo menos duas escolas particulares retomaram as aulas presenciais nesta segunda-feira (25) em Extrema (MG). A autorização foi dada pela prefeitura na última sexta-feira (22). Segundo a Superintendência Regional de Educação, Extrema é a primeira cidade da regional de Pouso Alegre (MG) a volta às aulas presenciais da rede particular.

Segundo a secretaria de educação, as escolas devem seguir o protocolo de segurança proposto pela vigilância sanitária. As instituições deverão seguir uma série de restrições, entre elas receber apenas 30% da capacidade de alunos em cada sala de aula.

Em uma das escolas, um esquema de rodízio foi organizado para que os estudantes não percam aulas e também se protejam contra a Covid-19. Grupos de seis a oito estudantes foram montados, respeitando a capacidade máxima dentro de cada sala.

Covid-19 em Extrema

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta segunda-feira, Extrema contabiliza 4.142 contaminações pela Covid-19, sendo 42 mortes.

VÍDEOS: Veja os vídeos mais assistidos do G1 Sul de Minas

Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

Fonte: G1

Comunicar erro
ANUNCIE
ANUNCIOU VENDEU 2

Comentários

ANUNCIE